Turismo de Mato Grosso do Sul presente na maior feira de Observação de Aves da América Latina

Campo Grande (MS) – O Governo do Mato Grosso do Sul, através da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur-MS), participará de mais uma ação estratégica para promover e divulgar o estado como um importante destino turístico. Dessa vez será na 23ª AvistarBrasil – Encontro Brasileiro de Observação de Aves  que acontece de 18 a 20 de maio, no Instituto Butantan, em São Paulo.

Considerada a maior feira de Observação de Aves da América Latina, a AvistarBrasil recebe anualmente expositores de todo Brasil e de países estrangeiros. O público participante é composto por observadores de aves, fotógrafos, ornitólogos, guias de turismo e amantes da natureza.  Visitantes do Instituto Butantã também terão a oportunidade de participar das atividades e assistir diversas palestras como a “MS: birdwatching no seu melhor estado”, que será ministrada diretor de Desenvolvimento do Turismo e Mercado da Fundtur-MS, Geancarlo Merighi.

Técnicos da Fundação de Turismo e empresários do setor turístico sul-mato-grossense farão parte uma caravana, em parceria com o Sebrae, para  atender os visitantes no estande do MS. A participação na AvistarBrasil configura uma ótima oportunidade para promover os destinos sul-mato-grossenses do segmente de observação de aves a novos mercados, visando novas possibilidades de comercialização e aumento de fluxo turístico.

O birdwatching, como é conhecido, já atrai milhares de brasileiros e estrangeiros para observar espécies raras com binóculo e, quando possível, fotografá-las. São cerca de 1900 espécies de aves catalogadas no Brasil e em Mato Grosso do Sul é possível encontrar mais de 650 delas vivendo livremente em ambientes rurais e urbanos. São vários os locais para a prática da atividade, como o Pantanal, Parque Nacional da Serra da Bodoquena, Parques Estaduais, região turística Rota Norte e até a capital, Campo Grande.

Caboclinho (Sporophila bouvreuil)

Mato Grosso do Sul possui ainda um diferencial para os observadores brasileiros que é a presença de duas espécies que, dentro do território nacional, só são observadas no Pantanal Sul-Mato-Grossense e na Serra da Bodoquena. Fora do território nacional, o Rapaizinho-do-chaco (Nystalus striatipectus) é avistado no Leste da Bolívia, Paraguai e norte da Argentina, e o Tiriba-fogo (Pyrrhura devillei) pode ser encontrado no chaco paraguaio.

2018 – Ano das Aves

Em comemoração ao centenário da aprovação da Lei do Tratado das Aves Migratórias (MBTA, na sigla em inglês), importantes instituições estrangeiras como National Audubon Society, National Geographic, BirdLife International e The Cornell Lab of Ornithology, oficializaram 2018 como o Ano das Aves.

E em 2018 o Brasil, 2º país com maior diversidade de aves no mundo e um dos melhores destinos para a prática do birdwatching, ficou em 4º lugar no ranking mundial do Global Big Day 2018. A “competição” é de quem realiza o maior registro de espécies de aves em 24h. Foram 1036 espécies em 801 listas registradas no país, que ficou atrás apenas da Colômbia, Peru e Equador. Mato Grosso do Sul registrou 285 espécies de aves, com destaque para a cidade de Aquidauana, onde houve registro de 206 espécies. Com isso o estado ficou em 7ª lugar em nível nacional no GBD 2018, melhor colocação do MS desde que começou a participar do evento.

 

Débora Bordin – Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul | Fotos: Geancarlo Merighi