Pousadas pantaneiras se preparam para oferecer turismo de luxo no Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) – Serviços exclusivos e agradáveis, experiências únicas e surpreendentes, conforto e atendimento personalizado. Essas são algumas das características necessárias para que um produto seja considerado de luxo e agrade consumidores exigentes. Algumas pousadas pantaneiras no Mato Grosso do Sul já perceberam esse nicho de mercado e se preparam para oferecer um estilo de turismo onde a ostentação não é prioridade, mas sim a exclusividade.

Serviços exclusivos e personalizados são características do turismo de luxo

No último final de semana (03.05) a Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur –MS) foi parceira do Refúgio Ecológico Caiman na realização de uma reunião de troca de experiências com a Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), associação que reúne 31 hotéis e operadoras de luxo no país. O evento aconteceu na sede da pousada, no Pantanal de Miranda, ocasião em que pousadeiros e operadores de Aquidauana, Campo Grande, Corumbá e Miranda tiveram a oportunidade de conhecer as boas práticas de outros empresários brasileiros que já oferecem produtos de luxo em seus empreendimentos.

Para o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, as pousadas pantaneiras têm a riqueza das belezas naturais do Pantanal, a cultura do homem pantaneiro e várias ferramentas para se especializar no segmento do turismo de luxo. “Com as adequações necessárias exigidas pela BLTA, este é um produto que temos condições de oferecer, principalmente pela exclusividade da experiência que o turista tem de vivenciar a cultura pantaneira e que outros destinos não têm. Esse é nosso diferencial competitivo e Mato Grosso do Sul pode crescer e explorar essa fatia pequena, mas importante do mercado turístico”, avalia Bruno.

Reunião de pousadeiros do pantanal com a Brazilian Luxury Travel Association (BLTA)

Mercado de Luxo

Segundo relatório da International Luxury Travel Market, baseado em dados da Organização Mundial do Turismo, turistas de luxo correspondem a 3% do movimento turístico mundial, representando 25% dos gastos em viagens internacionais. O estudo também mostra que o segmento gerou 25 milhões de viagens no mundo e US$ 180 bilhões, ou US$ 7.200, em gastos por viagem. O gasto médio diário do turista de luxo é, em média, oito vezes maior que dos turistas convencionais.

O Brasil ocupa a 4ª posição entre os maiores mercados de turismo de luxo do mundo, de acordo com pesquisa da ITB Berlin e IPK Internacional. O desafio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) é a consolidação da imagem de outros destinos fora do eixo Rio de Janeiro, São Paulo e Foz do Iguaçu, destinos mais requisitados por turistas com esse perfil. O Instituto trabalha com programas de apoio à comercialização dos destinos em parceria com a BLTA com o objetivo de estabelecer administração descentralizada, a fim de identificar, elaborar e executar ações de promoção.

Débora Bordin – Assessoria de Comunicação da Fundtur-MS, com informações da Embratur | Fotos: Refúgio Ecológico Caiman