Pantanal é destino para quem busca fugir da folia do carnaval

Campo Grande (MS) – Considerado o quarto melhor destino para apreciação de vida selvagem no mundo há cerca de dois anos, o Pantanal pode ser uma boa pedida para quem quer fugir da agitação do carnaval. É um paraíso para observadores e fotógrafos de fauna e flora, onde vivem cerca de 260 espécies de peixes, 40 espécies de anfíbios, mais de 50 espécies de répteis, 650 espécies de aves e 50 espécies de mamíferos.

Tuiuiú, ave símbolo do Pantanal

O Pantanal abrange os estados do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso e estende-se na divisa do Brasil com a Bolívia e o Paraguai. Reconhecido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Reserva da Biosfera e Patrimônio Natural da Humanidade, é um dos ecossistemas que fazem do Brasil o país número um do mundo em recursos naturais, segundo o Fórum Econômico Mundial. Localizado em sua maior parte na região Centro-Oeste do Brasil, a maior área alagável do planeta compreende uma extensão de mais de 158.592 quilômetros marcados por variadas elevações, como chapadas, serras e maciços, além de grandes rios cortando a planície, todos pertencentes à Bacia do Rio Paraguai.

Vista de cima, a paisagem pantaneira se parece com um imenso mosaico, por conta da flora extremamente rica. Afinal são mais de 1700 espécies de vegetais, entre elas, a Piúva, também conhecida como Ipê-roxo, a Carandá, uma imensa palmeira com folhas em forma de leque, a Tarumã, árvore copada, de flores violetas e que atinge até 20 metros de altura, e a Aroeira, que possui a madeira mais forte do Pantanal. Segundo a Embrapa Pantanal, quase duas mil espécies de plantas já foram identificadas no bioma, classificadas de acordo com seu potencial, e algumas apresentam vigoroso potencial medicinal.

Pantanal sul-mato-grossense

Há mais de 200 anos, o trabalho com o gado foi introduzido na região como a principal atividade econômica, já que as pastagens naturais e a água levemente salgada são ideais para o animal. Com o passar do tempo, o trabalho com o gado marcou a paisagem, os costumes e a maneira  de viver do homem pantaneiro, dando origem a uma cultura regional mesclada com a portuguesa, indígena e paraguaia. Por esse motivo, são comuns as competições de laço, as comitivas de gado, as famosas rodas de conversa entre peões, que se unem para tomar tereré, uma espécie de chimarrão gelado feito de erva-mate.

Aos que buscam descanso e contemplação da natureza, esse  é um dos destinos brasileiros mais procurados pelo turismo nacional e internacional. Entre as atividades turísticas praticadas no Pantanal, estão os safáris durante o dia e as focagens noturnas para avistamento de animais como jacarés, capivaras, antas, tamanduás, jaguatiricas e onças, observação de aves, cavalgadas nos campos das fazendas e corixos, caminhadas, passeios de barco e a experiência inesquecível de conhecer a cultura do homem pantaneiro. Para saber mais sobre o turismo no Pantanal, acesse www.visitms.com.br

 

Débora Bordin – Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul | Fotos: @visitmsoficial