Histórico

Acompanhando o desenvolvimento dos setores cultural, empresarial e turístico foi inaugurado em 1994, o Centro de Convenções – Palácio Popular da Cultura, que passa em 14 de fevereiro de 2000, através da Lei nº2191, a se chamar Centro de Convenções – Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em homenagem póstuma ao arquiteto criador da obra e tendo sido construído em meio a uma das maiores reservas ecológicas nativas e urbanas do Centro-Oeste, o chamado Parque dos Poderes.

Espaço de múltiplas utilizações com projeto arquitetônico arrojado, o Centro de Convenções é dotado de quatro auditórios, com uma capacidade total de 1.488 lugares, além de uma área de 1726 m² para exposições, eventos e feiras, além de restaurante, lanchonete, sala VIP, sala de imprensa e ambulatório para emergências médicas.

O auditório principal, MANOEL DE BARROS, com capacidade para 1045 lugares, é na verdade um anfiteatro, dotado de poltronas anatômicas, palco de 23 metros com dois acessos laterais e com 12 metros de profundidade, vara de iluminação fixa, telão para projeção, quatro cabines para tradução simultânea, sala de aquecimento, seis camarins, sendo quatro individuais.

O Centro de Convenções conta ainda com outros três auditórios independentes, com capacidade para realização de eventos diferentes simultaneamente ou interconectados através de transmissão simultânea por telão, sendo eles: Auditório GERMANO BARROS DE SOUZA, com 196 lugares; Auditório PEDRO DE MEDEIROS, com 135 lugares e Auditório TERTULIANO AMARILHA, com 109 lugares. Todos os auditórios contam com iluminação simples e sistema independente de climatização.

Como um dos maiores Centro de Convenções do Centro-Oeste, já foi premiado diversas vezes, onde se destacam: Prêmio Imprensa de Turismo, pela Associação Brasileira de Jornalistas e Escritores de Turismo (1994); Troféu de Qualidade Lojista, pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande/MS; Jacaré de Ouro Prêmio Caio 2002; Jacaré de Prata Prêmio Caio 2003 e Jacaré de Prata e Ouro Caio 2004.

Desde sua inauguração, o Centro de Convenções recebeu inúmeros shows, espetáculos, congressos, simpósios e palestras com figuras de nome nacional e internacional, tornando o Estado de Mato Grosso do Sul e a cidade de Campo Grande um roteiro para grandes eventos de negócios, culturais e artísticos do Brasil.

O Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo é administrado pela Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul – FUNDTUR, órgão oficial do turismo de MS, vinculado à Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (SECTEI).